Não atirarei a primeira pedra... mas falarei a verdade doa a quem doer




Hoje de manhã vendo minhas atualizações básicas na internet sou confrontado com uma frase:

"João, PARE DE APONTAR as pessoas... Jesus disse 'aquele que não tiver pecado, que atire a primeira pedra'".

Sabe... isso me chateou. Pensei até que realmente todo o combate que eu fiz para defender uma fé cristã sadia e para desmascarar aqueles que sabendo do erro que ensinam permanecem fazendo isso para benefício próprio, que tudo que eu fazia poderia estar errado, que era perda de tempo, que eu era um idiota que poderia estar fazendo qualquer coisa ao invés de ficar mostrando para as outras pessoas os ensinos heréticos e as pessoas que assim o fazem.

Após uma conversa com minha velha mãe (sempre ela) e orar um bocado, relembrei das palavras de Jesus:

"Aquele que não tiver pecado, que atire a primeira pedra".


As pedras que iam lançar na mulher adúltera (João 8.1-11) iriam condena-la. Iriam matá-la. Iriam até mesmo mandá-la pro inferno. Eram pedras de condenação, de julgamento eterno. Não eram mais acusações, não eram mais exposições do erro, não eram mais a simples exortação. ERAM A MORTE ETERNA!


Foi aí que eu percebi. Jesus não livrou a mulher de mostrar a ela seu erro para que ela se consertasse, senão não teria dito "nem eu te condeno, VAI E NÃO VOLTES A PECAR!" (v. 11). Ele expôs sim o erro à moça, queria que ela reconhecesse sua falha para com Deus, com seu esposo (ou com o cônjuge de quem ela foi amante, não sabemos ao certo) e consigo mesma. E queria que ela mudasse de atitude, que vivesse uma nova e eterna vida. Jesus apenas a livrou da sentença condenatória, da morte e do inferno.


E é justamente isso que eu e tantos como eu, que passam suas vidas orando, buscando conhecer a Palavra de Deus em sua integridade e fugir de ensinamentos contrários à Sua Santa Palavra, contra os aproveitadores desse mundo e que destroem a imagem da igreja por si próprios e não demonstram um pingo de arrependimento. Mas não quero que eles morram e vão pro inferno. Eu não os condeno. Eu não os julgo, nem tenho esse direito ou poder. Mas eu tenho o direito e o DEVER de zelar pela Casa de Deus (João 2.17), pela Palavra do Senhor ser pregada de verdade contra os que não suportam a sã doutrina (II Timóteo 4.3-4), para que os ímpios parem de escarnecer do nome de Deus (Isaias 52.5 / Romanos 2.24), como tem acontecido por culpa exclusivamente de nossa passividade e de deixar toda sorte de heresias e falsos ensinos penetrarem na igreja e nós de braços cruzados engolindo tudo como se tivesse "bom demais" (Apocalipse 2.14-16 e 20-23). Não condenarei nenhum dos líderes, seja eles quem forem, mas a Verdade é que temos que mostrar a verdade, quer gostem os líderes ou as pessoas ou não, quer morramos, quer vivamos, que falemos a Verdade a tempo e fora de tempo! (II Timóteo 4.2).


Pra finalizar esse texto deixarei aqui uma música do melhor grupo de louvor desse país, Grupo Logos, meditem na letra e música, e que Deus nos ajude todos os dias a não temer NUNCA falar a verdade, mesmo que doa em nós mesmos:
PROXIMA
ANTERIOR
Click here for Comments

0 comentários: