Origens do nomes Alfa e Ômega.



Nota Fundamental!
Alfabeto Grego.
Α  α  ALFA
Β  β ϐ beta
Γ  γ   gama
Δ  δ   delta
Ε  ε   épsilon
Ζ  ζ   dzeta
Η  η   eta
Θ  θ ϑ teta
Ι  ι   iota
Κ  κ   capa
Λ  λ   lambda
Μ  μ   mi
Ν  ν   ni
Ξ  ξ csi
Ο  ο   ômicron
Π  π   pi
Ρ  ρ   rô
Σ  σ ς sigma
Τ  τ   tau
Υ  υ   ípsilon
Φ  φ   fi
Χ  χ   qui
Ψ  ψ   psi
Ω  ω ÔMEGA

Obs: Por isso todo o versículo que diz, tradução João ferreira de almeida, E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o ALFA e o OMEGA, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida. Apocalipse 21:6
Veio do grego. O certo é Apocalipse 1;8) Eu sou o ALEF e o TAU, o principio e o fim, diz o Yahuh, que é, e que era, e o que há de vir, o Todo Poderoso.
O alfabeto hebraico arcaico se escreve da direita para esquerda, Veja o ALEF eo TAU
Pessoal tudo veio do grego.
Fonte de origens do nome Alfa  Ômega vinda do Grego.
Alfa e Omega
Em praticamente todas as línguas antigas, alfa, a primeira letra do alfabeto grego, herdeiro direto do alfabeto fenício, era considerada a origem, a primeira causa ou nascimento, a mãe ou deusa primordial. Na sua origem estaria a figura de uma vaca, boi ou touro, que seria representada ao contrário do que hoje conhecemos. Na Babilônia, a letra A era o nome da deusa e no Sudeste Asiático era considerada o nome da mãe original, Akshara, a deusa da Sabedoria responsável pelo nascimento espiritual dos seres que atingiam a revelação divina. Acreditava-se que este símbolo de criação, juntamente com a letra ômega, que estava no fim do alfabeto grego, tinha em si mesmo a chave do conhecimento do Universo, a existência e o conhecimento totais. Jesus Cristo, na sua revelação registada no Livro do Apocalipse, assume-se como sendo alfa e ômega, o princípio e o fim de tudo o que existe, "o que era, o que é e o que há de vir". Por esse motivo são frequentes as inscrições de alfa e ômega nas representações da cruz de Cristo. Símbolo de sentido triplo, dada a sua semelhança com o triângulo, alfa era também um outro nome do rio Estige, que simbolizava tanto a morte como o renascimento, estando assim também muito próxima de princípio e fim. Na mitologia, o próprio rio Estige sofria no seu curso uma espécie de renascimento ou renovação contínua ao fazer sete voltas no ventre subterrâneo da terra. Para além de alfa, existia o alfa triplo, que era uma representação da letra alfa três vezes. Acreditava-se que era um talismã para as mulheres que estavam prestes a dar à luz e era usado pelos feiticeiros nas suas invocações e proteções mágicas. Em algumas filosofias de evolução espiritual, a distância entre alfa e ômega é o caminho da evolução espiritual. Ômega simbolizaria a entrada no plano espiritual, ou seja, daria lugar a um novo alfa, a um novo começo.
Abram seus olhos.

Pr Gleydson Pinto
PROXIMA
ANTERIOR
Click here for Comments

0 comentários: