"ABRINDO SUA MENTE" leem com atenção!!!


Paz a todos os visitantes.

Jesus, seria um nome inventado?

Saiba aqui o que a religião escondeu de você.


ALELUIA é uma palavra traduzida do hebraico הַלְלוּיָהּ

(Halleluya – Hebraico padrão) onde a primeira parte da

palavra Hallelu (הַלְּלוּ) significa “Louvem! Adorem!” numa


forma de elogio, e a segunda parte Yah (יָהּ) é uma abreviação

do nome YAOHUH, o Eterno, o Criador.

Portanto, ALELUIA quer dizer: “Louvem a Yah” ou “Adorem

a Yah”.Como pode muitos cristãos usarem esta frase para

exaltar o nome do Criador e não o reconhecem?

YAH uma abreviatura do nome do Eterno (YAOHUH).


Yaohu se pronuncia Iaorru (transliterado para português)





YAOHUH, o nome, o criador, o eterno.




Yaohushua, o filho, o salvador, A Salvação de Yahu

YAOHUH = nome do Pai, Shua = Salvação

Yaohushua se pronuncia Iaorruchua (transliterado para português)


YAOHUSHUA = salvação de Yahu / Yahu salva / Yahu a Salvação


Dê um clic sobre as imagens para ver em tamanho grande.




Você tem uma Bíblia Thompson (Bíblia de estudo)?? Repare (e confira) neste comentário da página 1378







Capa da 1ª edição traduzida em português pelo Padre João Ferreira de Almeida
impressa pela Viúva de J. V. Someren em 1681

A ORIGEM DO NOME JESUS



Toda confusão iniciou-se da tradução da Escrituras Hebraicas para a língua grega, por volta dos anos 247 a 285 antes do Messias.
Qual regra gramatical foi usada para transformar o nome hebraico YAOHUSHUA (a salvação de Yah) para o nome português Jesus?
Saiba que; não foi por meio de tradução e nem da transliteração.
Com base lógica entendemos que foi por meio de adulteração.
Será que esta ação foi para ocultar na Escritura Sagrada a mais importante verdade de todos os tempos?


Para você entender, melhor é explicar o que é TRANSLITERAÇÃO.
É uma regra gramatical UNIVERSAL, usada para representar os sons das letras ou caracteres de um alfabeto para outro alfabeto, levando-se em conta os princípios da FONÉTICA, buscando preservar a pronúncia original dos nomes próprios.


Convido você a participar de uma simulação gramatical, baseada em fatos reais, onde a maior e mais preciosa verdade pode ser esclarecida.
Imaginemos que estamos em um tempo que não existisse Bíblia em português, e vendo a necessidade de propagar o Evangelho na nossa própria língua, sendo você um (a) erudito (a), incumbido (a) de realizar essa importante tarefa de traduzir do idioma hebraico para o idioma português, aceitasse esse desafio.


Ao iniciar a tradução, certamente você consultaria um dicionário hebraico para português e observaria os verbos, artigos, adjetivos, advérbios, conjunções, preposições, substantivos comuns; compostos; primitivos coletivos; abstratos...Mas, o que você faria quando deparasse com substantivos próprios?


São nomes de pessoas, países, estados, cidades, mares, rios; e não são encontrados em dicionários. Com certeza chegaríamos a conclusão de que nomes próprios não se encontram em dicionários por não serem traduzíveis e nem tão pouco substituídos por meros significados. E senão podem ser substituídos, então como representá-los na nossa língua e pronunciá-los de forma correta?


Para uma pessoa sem grandes conhecimentos seria o fim, mas para um erudito escolhido seria apenas mais uma etapa conclusiva para se enquadrar dentro das normas gramaticais universais. Mas então a que regra gramatical o erudito recorreria para resolver a questão dos nomes próprios?

NOME PRÓPRIO NÃO PODE SER SUBSTITUÍDO


Não precisamos ser sábios para se convencer da importância desta sagrada tarefa e do peso da responsabilidade, ao qual se recorreria á regra gramatical chamada TRANSLITERAÇÃO e representaria corretamente os nomes próprios na nossa língua; sem prejudicar a pronuncia e o significado original dos nomes.
Obedecendo todas estas regras gramaticais, sua tradução seria a única confiável e a mais procurada por aqueles que buscam a verdade.
Quão bom seria se a realidade da Bíblia os nomes tivessem como nesta explicação, infelizmente na verdade ocorreu ao inverso do explicado.
Os eruditos e grandes tradutores deixaram de lado os verdadeiros personagens bíblicos ao substituir seus nomes por qualquer outro desconhecido do povo hebreu, desvirtuando as Sagradas Escrituras, omitindo o verdadeiro nome do seu Salvador.



Sabe quando isso aconteceu?


Todo esse engodo deu início com a suposta "tradução"das Escrituras para o grego por volta de 285 a 247 AM (antes do Messias).


Todos os tradutores/homens corruptos de entendimento, sem iluminação do Criador, com as mentes cauterizadas pelo deus deste século (II Coríntios 4:04), por isso não discernem o certo do errado, entre o falso e o verdadeiro; não diferem o que pode ser traduzido do que pode ser transliterado.


A SEPTUAGINTA


A septuaginta foi a primeira “tradução” das Sagradas Escrituras, recebeu este nome por ser uma obra feita pelo trabalho de aproximadamente 72 hebreus, na cidade de Alexandria no Egito, onde tiveram o cuidado de retirar o nome sagrado do Criador Eterno, composto de quatro caracteres hebraicos, os quais são Yôd, He, Wav e Hê; que transliterado para o alfabeto universal temos Y.H.V.H, o chamado tetragrama que pronunciado ouvimos YAOHUH. Este nome ao qual conhecemos o Pai ocorre quase 7.000 vezes nos textos originais hebraicos, que na Septuaginta foi substituído pela palavra adonay, que traduzido é senhor. Os hebreus fizeram isso para que o povo grego não pronunciasse o santo nome Yaohuh em vão. Posteriormente os próprios gregos substituíram a palavra adonay (senhor = baal) pelo nome grego iesous; raiz genealógica do nome Jesus.
A primeira queda humanidade no campo espiritual acorreu com tradução hebraica para o grego, essa tradução desastrosa é símbolo da volta espiritual de Yahshurum ( verdadeiro nome de Israel) ao cativeiro.
Em Ezequiel 36:20 o Eterno confirma isso: “E, chegando aos gentios para onde foram, profanaram o meu santo NOME, ...”
O Profeta Jeremias 34:36 confirma estas mesmas palavras: “Mudastes, porém, e profanastes o meu NOME,...”



A TRADUÇÃO VULGATA


No ano de 382 a 384 DM, a SEPTUAGINTA foi trazida para o latim por são Jerônimo, a pedido do Papa Dâmaso I, o qual recebeu o nome de VULGATA LATINA, denominada pelos críticos de versão vulgar. Nela o nome iesous passou a ser lesvs(lê se iesus).

Esta é a segunda queda espiritual, conseqüência da primeira, sendo concretizada através da tradução da SEPTUAGINTA grega para o latim.
Para realizar esta obra o inimigo usou o Papa Dâmaso para ordenar a Jerônimo para que se incumbisse desta tradução desastrosa, dando seqüência ao maior plano demoníaco de todos os tempos contra o nome sagrado Yaohushua; atingindo o principal alvo, a humanidade. Nela o nome grego iesous passou a ser iesus christvs fili dei.


A TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA


Por fim, de 1681 a 1691, ano em o ex-padre João Ferreira de Almeida veio a falecer; no dia 6 de agosto, já havia "traduzido" o Antigo Testamento da Vulgata Latina para o português até EZEQUIEL; fazendo uma moldura final no suposto nome do Salvador, de iesu (do latim) para iesu christo.

Em 1748, o pastor Jacobus op den Akker, da Bavária, reiniciou o trabalho interrompido por Almeida; e cinco anos depois, em 1753, foi impressa a primeira Bíblia completa em português; em dois volumes.
Concluindo, portanto; o "inestimável"e árduo trabalho de João Ferreira de Almeida.
Mesmo com com erros, ao longo dos anos os estudiosos evangélicos vêm depurando sua obra, hoje; a mais conhecida vem com os dizeres REVISTA E ATUALIZADA; que, em alguns trechos; foram substituídas algumas palavras para reforçar a defesa de seus interesses. tome como exemplo: HEBREUS 13:7
"lembrai-vos dos vossos guias" e em outras,
"lembrai-vos dos vossos pastores"

Para estes, cabe a palavra pronunciada pelo Profeta JEREMIAS 08:8 "Como, pois, dizeis: Nós somos sábios, e a lei do "SENHOR" está conosco? Eis que em vão tem trabalhado a falsa pena dos escribas."

Em APOCALIPSE 22:28 diz "se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;"

Qual a autoridade que usam para trocar uma palavra por outra????

A "obra" de Almeida foi a terceira e grande queda espiritual, consolidando o golpe fatal consumando o plano de satanás em tornar esquecido o nome Yaohushua, apresentando ao mundo o nome "Jesus" como sendo o Salvador da humanidade.

O inimigo usou de tradutores como instrumentos para mudar a verdade Yahushua, na mentira Jesus; para que se cumprisse a profecia de Jeremias 23:27 “Os quais cuidam fazer com que o meu povo se esqueça do meu NOME...”


O Sr. João Ferreira de Almeida e outros tradutores, bem que poderiam ter evitado este desastre espiritual, mas suas mentes estavam cauterizadas pelo deus deste século e diplomados na teologia grega.
Se ao menos tivessem recorrido ás fontes hebraica; o que seria mais racional e lógico, desprezando a VULGATA LATINA e a SEPTUAGINTA GREGA, eles não seriam responsabilizados por esse genocídio mundial incontrolável.






A CRIAÇÃO DO NOME JESUS
Para chegar ao nome Jesus em português; aconteceu da seguinte maneira; quando ele traduziu as Sagradas Escrituras transliterando iesu para iesu christo, o nome ainda não estava de acordo com a "transliteração" correta do latim, após a morte de Almeida, que ainda não tinha concluído a tradução integral, um Pastor por nome Jacobus; concluiu a obra, mudando o i de iesu para J, ficando então “Jesu” onde não existe a letra “J” nem no grego nem no hebraico, possivelmente pode ter homenageado o deus Jupter.


Até então o nome Jesus não existia na Bíblia, mas a sociedade bíblica do Brasil, para realçar o nome, incluiu um “S” no final do nome Jesu, ficando assim Jesus.


Sentimos uma trama diabólica observando a trajetória das Sagradas Escrituras até os dias de hoje, iniciando com a retirada do nome do nosso Criador na primeira tradução, pelos aproximados 72 Yahudim nos anos 285 a 287 AM, do hebraico para o grego, saindo de Israel; passando pela Grécia, por Roma e chegando a Portugal; e através de tradutores; introduziu também palavras tributadas á mitologia grego-romana, dando toda essa volta para que a humanidade ficasse confundida e perdida no tempo, sem conhecimento das adulterações morrendo na mentira planejada por satanás.
Retirando o nome do Salvador, a humanidade perderia sua essência principal, a salvação.
Sem o nome que pode nos salvar, as Escrituras Sagradas se tornaram como um automóvel sem combustível, ou como uma espada nas mãos de quem não sabe lutar.


Este conhecimento é para honra do Altíssimo, o criador, Yahu, e cumprir a sua palavra quando disse “O meu povo saberá o meu Nome...” Isaías 52:06, isto está acontecendo nestes últimos tempos, muitos estão recebendo do Eterno esta tão grande verdade e se libertando do engano religioso que tem escravizado a humanidade, hoje este povo está sendo imerso nas águas e reconhecendo Yahushua para o perdão dos pecados por que “em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” Atos 4:12.




Agora fica a grande pergunta, que regra gramatical foi usada para transformar o nome hebraico Yaohushua para Jesus?


Sabemos que gramaticalmente não foi por este meio, e nem por transliteração, então só resta a adulteração, isto ocultaria a mais importante verdade das Escrituras Sagradas.


Os líderes religiosos, doutores, formados em teologia poderiam dar a resposta? É certeza que NÃO.


Qual a pronúncia correta? É YAHUH ou YAOHUH?
Vejamos a Transliteração para o português
Por nosso irmão Uzulyao Ben Yaohuh, em fevereiro de 2012.

Amados,
Essa pergunta é muito frequente e por isso entendo que devo responder aqui nesta nota para tornar fácil o acesso.

Em primeiro lugar, vamos resolver a questão do ditongo:
Para existir um ditongo é preciso que hajam DUAS vogais, porque uma vogal só não faz ditongo.

Quando escrevemos YAOHUH ou YAOHUSHUA nós estamos representando um ditongo apenas pelo fato de que o som do massorético QAMATZ ser um som de "A" fechado para "O" que resulta em "AO".

Então, na transliteração, e somente na transliteração, existe um ditongo.

Contudo, o QAMATZ é uma única vogal em hebraico, e não duas, pelo que não existe nenhum ditongo no hebraico.

Vamos tomar como exemplo o idioma inglês: em inglês a palavra "late", que significa "tarde", se pronuncia "leite", ou seja, a letra "a" nessa palavra soa como se fossem duas vogais "ei", embora na escrita seja apenas uma vogal.
Existe algum ditongo na palavra inglesa "late"?
Não, porque não há duas vogais na mesma sílaba. Contudo, para transliterarmos a palavra "late" para a leitura segundo os fonemas da língua portuguesa precisamos escrever duas vogais para obter a pronúncia "leite". Onde havia uma só vogal na língua original, temos agora duas na transliteração, porque as vogais em português não têm som de duas vogais. Não temos em português nenhuma vogal que tenha o som de "ei". Para obtermos esse som em português precisamos de duas vogais, e com isso a transliteração passa a possuir um ditongo que NÃO EXISTE NO IDIOMA ORIGINAL.
Se nós formos pronunciar somente as vogais em inglês diremos: EI (é o A), II (é o E), AI (é o I), OU (é o O) e IU (é o U).
Percebe-se que cada vogal em inglês é pronunciada COMO SE FOSSEM DUAS, embora seja uma única vogal.

O mesmo ocorre com o QAMATZ hebraico, que é uma única vogal (e portanto não há nenhum ditongo) mas que soa como se fossem duas "AO".
Os bons livros de hebraico mostram isso com toda a clareza.

Assim, ninguém pense que há algum ditongo no Nome YAOHUH ou no Nome YAOHUSHUA, porque o "AO" que aí aparece na transliteração é somente a representação da vogal QAMATZ que possui esse som, COMO SE FOSSEM DUAS.

Se o Nome do Criador fosse escrito com o massorético PATAKH, então a transliteração seria YAHUH, mas como é escrito com QAMATZ, a transliteração correta é YAOHUH.

No Nome YAOHUSHUA, o último "A" é aberto, resultado de um PATAKH, mas o QAMATZ inicial tem som de "AO" e não de "A" como o PATAKH.

Paz seja sempre com todos, em o Nome YAOHUSHUA, amnao.




A GRANDE DIFERENÇA


A pronúncia do nome Yaohushua em grego seria: Ihosua, Ieosua, e nunca iesous.


A escrita e Pronúncia em Hebraico é: eswhy = YAOHUH
Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento, página 1033



Meu abraço a todos os visitantes, a baixo uma pequena nota sobre o nome Jeová.


"YHW *YaH, YaHu* OU JEHOVA ???????

Através da palavra HALLELU YaH podemos entender claramente que o nome de YHWH começa com YAH, pois senão ao invés de HALLELU YAH iríamos pronunciar HALLELU YEH, como este não é o caso, entendemos que não podemos começar o nome do Pai com (JE) e o que significa (HOVA) ????


Bem; você pode confirmar com um dicionário em hebraico que a palavraHOVA significa * RUINA E DESTRUIÇÃO*, estão juntando JE + HOVAtemos Je (como prefixo) + HOVA a destruição, seria possível ser esse o nome do nosso Criador?????.


הוה= destruição, ruína CONFIRA VOCE MESMO:
Strong Dicionário hebraico 1943.
Hovah (ho-vaw')"1944 Another form for hebrew havvah = ruin - mischief. Outra forma para havvah [ ruina ; desgraça, destruição}see HEBREW 1942 havvah".
PROXIMA
ANTERIOR
Click here for Comments

0 comentários: