A restauração do Shemá original




A restauração do Shemá original


No Judaísmo Tradicional, pelos menos duas vezes ao dia os judeus fazem a denominada “oração do Shemá”, na parte da parte da manhã e após o anoitecer. Tal oração é a mais importante do Judaísmo, em que são recitados determinados textos da Torá.

“Shemá” significa “ouve”, constando no texto de Devarim/Deuteronômio 6:4, já que as seguintes palavras iniciam a oração:

“Shemá Israel (Ouve Israel), YHWH é nosso Elohim, YHWH é um”.



Eis a explicação acerca do Shemá pelo Judaísmo:

“Assim como o ‘Shemá’ faz parte das primeiras palavras a serem repetidas por nossas crianças, ele acompanha cada judeu ao longo de sua jornada.

É uma afirmação de nossa fé e confiança em um D’us único e verdadeiro a quem devemos todas as bênçãos recebidas, desde o momento de nosso despertar, ao deitar, bem como nos momentos finais de nossa vida.

A geração de nossos pais ou avós levaram cada palavra do Shemá a seus lábios a caminho dos fornos crematórios, e antes disto, nas fogueiras da inquisição. O princípio que está para sempre moldado na pronúncia desta afirmação, (sic) é que a fé e lealdade de um judeu a D’us é inabalável, mesmo que para isto precise pagar com sua própria vida, mesmo que hoje esteja mais distante e ainda não tenha descoberto o incalculável valor de sua herança, mesmo que se torne presa fácil, por falta de conhecimento, de caçadores alienígenas de almas para rebanhos alheios: o Shemá e sua neshamá (alma judaica, a faísca Divina) sempre estarão conectadas.

É dever de todo e cada judeu ensinar o ‘Shemá’ a seus filhos, em todas as gerações, sem esquecer a obrigação de amar e ensinar também a cada irmão judeu, por mais distante que se encontre hoje. Deverá fazê-lo escutar e se aproximar.

A leitura do Shemá é um mandamento positivo da Torá que deve ser cumprido duas vezes ao dia: pela manhã na prece de Shacharit e após o anoitecer na prece de Arvit. Uma vez que o Shemá da manhã deve ser lido no primeiro quarto do dia, é aconselhável lê-lo logo após as Bênçãos Matinais, antes da prece de Shacharit para não atrasar este horário (e durante a prece de Shacharit, o Shemá será lido novamente na sequência normal da prece).

O Shemá é composto de três trechos da Torá (Deut. 6:4-9; 11:13-21; e Núm. 15:37-41) que devem ser lidos cuidadosamente e sem interrupção, seja por palavras, seja por gestos. Os homens costumam beijar os tsitsit (na leitura do Shemá de dia) cada vez que mencionam esta palavra no meio do terceiro parágrafo do Shemá e também na última palavra (‘emet’)”[1].



Na referida oração, são lidos os textos de Devarim/Deuteronômio 6:4-9, 11:13-21 e Bamidbar/Números 15:37-41, da seguinte forma:

“Shemá Yisrael, A-do-nai E-lo-hê-nu, A-do-nai Echad.

(Em voz baixa:) Baruch shem kevod malchutô leolam vaed.

Veahavtá et A-do-nai E-lo-hê-cha, bechol levave-chá uvchol nafshechá uvchol meodêcha. Vehayu ha-devarim haêle, asher Anochi metsavechá hayom al levavêcha. Veshinantam levanêcha vedibartá bam, beshivtechá bevetêcha, uvlechtechá vadêrech uv-shochbechá uvcumêcha. Ucshartam leot al yadê-cha vehayu letotafot ben enêcha. Uchtavtam al mezuzot betêcha uvish’arêcha.



Ouve, Israel, A-do-nai é nosso D’us, A-do-nai é Um.

(Em voz baixa:) Bendito seja o nome da glória de Seu reino para toda a eternidade.

Amarás a A-do-nai, teu D’us, com todo teu coração, Estas palavras que Eu te ordeno hoje ficarão sobre teu coração. Inculcá-las-ás diligentemente em teus filhos e falarás a respeito delas, estando em tua casa e andando por teu caminho, e ao te deitares e ao te levantares. Atá-las-ás como sinal sobre tua mão e serão por filactérios entre teus olhos. Escrevê-las-ás nos umbrais de tua casa e em teus portões.



Vehayá im shamôa tishmeú el mitsvotai, asher Anochi metsavê et’chêm hayom, leahavá et A-do-nai E-lo-he-chêm, ul’ovdô bechol levavchêm uvchol nafshechêm. Venatati metar artsechêm be‘i-tô, yorê umalcosh, veassaftá deganêcha vetiro-shechá veyits‘harêcha. Venatati êssev bessadechá livhemtêcha veachaltá vessavá’ta. Hishameru la-chêm pen yiftê levavchêm, vessartêm vaavadtêm elohim acherim, vehishtachavitêm lahêm. Vecha-rá af A-do-nai bachêm, veatsar et hashamáyim, velô yihyê matar, vehaadamá lo titen et yevulá.

Vaavadtêm meherá meal haárets hatová asher A-do-nai noten lachêm. Vessamtêm et devarai êle al levavchêm veal nafshechêm, ucshartêm otam leot al yedchêm, vehayu letotafot ben enechêm. Veli-madtêm otam et benechêm, ledaber bam, beshiv-techá bevetêcha, uvlechtechá vadêrech, uvshoch-bechá uvcumêcha, uchtavtam al mezuzot betêcha uvish’arêcha. Lemáan yirbu yemechêm vimê vene-chêm, al haadamá asher nishbá A-do-nai laavotê-chem, latet lahêm, kimê hashamáyim al haárets.



Acontecerá, se obedecerdes diligentemente Meus preceitos, que Eu vos ordeno neste dia, de amar a A-do-nai, vosso D’us, e servi-Lo com todo vosso coração e com toda vossa alma; então darei a chuva para vossa terra a seu tempo, a chuva precoce e a chuva tardia; colherás teu grão, teu mosto e teu azeite. Darei erva em teu campo para teu gado, e comerás e te saciarás.

Guardai-vos para que vosso coração não seja seduzido e desvieis e sirvais outros deuses e vos prostreis diante deles. Pois então se inflamará contra vós a ira de A-do-nai, e Ele fechará os céus e não haverá chuva, e a terra não dará seu produto. Então perecereis rapidamente da boa Terra que A-do-nai vos dá. Portanto, colocai estas Minhas palavras sobre vosso coração e sobre vossa alma, e atá-las-eis como sinal sobre vossa mão e serão por filactérios entre vossos olhos.

Ensiná-las-eis a vossos filhos, a falar a respeito delas, estando em tua casa e andando por teu caminho, e ao te deitares e ao te levantares. Escrevê-las-ás nos umbrais de tua casa e em teus portões. A fim de que se multipliquem vossos dias e os dias de vossos filhos na Terra que jurou A-do-nai a vossos antepassados dar-lhes por todo o tempo em que os Céus estiverem sobre a Terra.



Vayômer A-do-nai el Moshê lemor: Daber el Benê Yisrael veamartá alehêm, veassu lahêm tsitsit al canfê vigdehêm ledorotam. Venatenu al tsitsit ha-canaf, petil techêlet. Vehayá lachêm letsitsit, ur‘-itêm otô, uzchartêm el col mitsvot A-do-nai, vaas-sitêm otam, velô tatúru acharê levavchêm veacha- tizkeru vaassitêm et col mitsvotai, vihyitêm kedoshim l’E-lo-he-chêm. Ani A-do-nai, E-lo-he-chêm, asher hotsêti et’chêm meêrets Mitsráyim, lihyot lachêm l’E-lo-him. Ani A-do-nai E-lo-he-chêm (Ani A-do-nai E-lo-he-chêm). Emet.



Disse A-do-nai a Moshê o seguinte: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes que façam para si franjas nos cantos de suas vestimentas, por todas suas gerações. Prenderão na franja de cada borda um cordão azul-celeste. Serão para vós por tsitsit e os olhareis e recordareis todos os preceitos de A-do-nai, e os cumprireis; e não seguireis atrás de vosso coração e atrás de vossos olhos, por meio dos quais vos desviareis. Para que vos lembreis e cumprais todos Meus mandamentos e sejais santos para vosso D’us. Sou A-do-nai, vosso D’us, que vos tirou da terra do Egito para ser vosso D’us. Eu, A-do-nai, sou vosso D’us (Eu, A-do-nai, sou vosso D’us).

É verdade”[2].



Como se percebe, na oração do Shemá não há a citação de “Asseret HaDibrot” (Dez Palavras/“Dez Mandamentos”), o que causa certa estranheza, pois a prece se inicia no capítulo 6 de Devarim/Deuteronômio, que está intimamente ligado capítulo 5 do mesmo livro, justamente dispondo este sobre os “Dez Mandamentos”.

Interessante observar que, no Shemá, o ETERNO afirma que as palavras que ordenou deveriam estar no coração dos israelitas (Dt 6:6). E qual a essência das palavras que o ETERNO ordenou? Os Dez Mandamentos, escritos pelo próprio dedo do ETERNO nas tábuas entregues a Moshé (Moisés).

Logo, pela conexão lógica entre os capítulos 5 e 6 de Devarim (Deuteronômio), parece que o Shemá faz mais sentido quando lido em conjunto com os Dez Mandamentos, prática esta que não é adotada pelo atual Judaísmo Normativo.

Não obstante, no Judaísmo antigo, a leitura dos Dez Mandamentos fazia parte integrante da leitura do Shemá. Com efeito, no final do século XIX, houve a descoberta de um papiro em hebraico, encontrado no Egito, datado do século II antes de Yeshua, conhecido como “Papiro de Nash”. Neste documento, há a antiga liturgia do Shemá, e no texto há a citação dos Dez Mandamentos!!! Ou seja, diferentemente do que ocorre hoje no Judaísmo, os antigos hebreus proclamavam os Dez Mandamentos na oração do Shemá.

No Talmud (m. Berachot 3c e 12a), menciona-se que antigamente os judeus costumavam citar os Dez Mandamentos juntamente com o Shemá. Porém, posteriormente, os rabinos tiraram os 10 Mandamentos da famosa oração por causa dos “minim” (hereges), expressão depreciativa usada para se referir aos nazarenos.

Os nazarenos citavam os Dez Mandamentos juntamente com o Shemá para ensinar que não existia uma suposta Lei Oral dada pelo ETERNO a Moshé, ou seja, somente valia o que realmente estava consignado na Torá escrita. Já que os rabinos defendiam a existência da Lei Oral, terminaram por tirar os Dez Mandamentos do Shemá para combater os ensinos dos nazarenos. Eis a assertiva do Talmud:

“Seria apropriado ler os Asseret HaDibrot [Dez Ditos/10 Mandamentos] diariamente; e por que não fazemos?

Por causa do zelo dos Minim [hereges = nazarenos], para que não digam: Somente esses foram dados a Moshé no Sinai” (m. Berachot 3c).



Como visto, os antigos nazarenos e outros grupos judaicos realizavam a oração do Shemá recitando os Dez Mandamentos, e posteriormente esta prática terminou sendo banida pelo Judaísmo rabínico.

Objetivando restaurar a antiga oração nazarena do Shemá, propomos abaixo o seguinte texto, em que há a recitação de Asseret HaDibrot (Dez Palavras/Dez Mandamentos):



“Ouve, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos falo aos ouvidos, para que os aprendais e cuideis em os cumprirdes;

Eu sou YHWH teu Elohim que te tirei do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim;

Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra; não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu, YHWH teu Elohim, sou Elohim zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos;

Não tomarás o Nome de YHWH teu Elohim em vão, porque YHWH não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão;

Guarda o dia de Shabat, para o santificar, como te ordenou YHWH teu Elohim. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o Shabat de YHWH teu Elohim; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro das tuas portas para dentro, para que o teu servo e a tua serva descansem como tu; porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que YHWH teu Elohim te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que YHWH teu Elohim te ordenou que guardasses o dia de Shabat;

Honra a teu pai e a tua mãe, como YHWH teu Elohim te ordenou, para que se prolonguem os teus dias e para que te vá bem na terra que YHWH teu Elohim te dá;

Não assassinarás;

Não adulterarás;

Não furtarás;

Não dirás falsidade contra o teu próximo.

Não cobiçarás a mulher do teu próximo. Não desejarás a casa do teu próximo, nem o seu campo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

Estas palavras falou YHWH a toda a vossa congregação no monte, do meio do fogo, da nuvem e da escuridade, com grande voz, e nada acrescentou. Tendo-as escrito em duas tábuas de pedra, deu-mas a mim.

Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou YHWH teu Elohim se te ensinassem, para que os cumprisses na terra a que passas para a possuir; para que temas a YHWH teu Elohim, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados;

Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda, e muito te multipliques na terra que mana leite e mel, como te disse YHWH Elohim de teus pais;

Ouve, Israel, YHWH nosso Elohim, YHWH é um;

Amarás, pois, YHWH teu Elohim, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas”.



Leia mais: http://www.judaismonazareno.org/news/a-restaura%C3%A7%C3%A3o-do-shema-original/
PROXIMA
ANTERIOR
Click here for Comments

0 comentários: